Ilha de Páscoa

O Chile tropical se localiza na Polinésia, no meio do oceano Pacífico, sendo a maior das ilhas do Chile insular. Pertence a região de Valparaíso e conta com o Parque Nacional Rapa Nui, que é considerado Patrimônio da Humanidade desde 1995.

É o primeiro destino turístico do Chile por sua grande e exótica beleza natural e o mistério da cultura Rapa Nui que habita em seu território, construtores dos imensos moais e uma interessante mitologia que atrai visitantes durante todo o ano.

No idioma Rapa Nui, a Isla de Pascua é chamada Te Pito ou Te Henua, que significa o umbigo do mundo e Mata ki te rangi ,olhos que olham ao céu.

Mapa de Ilha de Páscoa

História

Os primeiros habitantes da Isla de Pascua se estabeleceram entre os anos 400 e 800, período onde se construíram os enigmáticos moais e a maior parte dos ahu cerimoniais. Logo no ano 800 e até o 1680 se praticou o culto ao tangata manu, ou homem pássaro. Já em 1680 começaram os primeiros contatos com os marinheiros ocidentais, que a descobriram em abril do ano 1722, precisamente no dia da Pascua de Ressurreição, nome com a que se fez internacionalmente conhecida.

O nome tradicional, porém é Rapa Nui, que significa “Rapa grande”, em taitiano, o idioma dos navegantes que visitaram o território durante o século XIX.

De acordo com a história dos rapanui, os primeiros povos chegaram à ilha desde Hiva, uma ilha mitológica, sob a guia de Hoto Matu’a, o primeiro ariki ou rei. Segundo as pesquisas, esta lenda tem relação à emigração do povo pascuense desde as Islas Marquesas en la Polinésia.

A sociedade do povo rapanui estava dividida em tribos que ocupavam zonas costeiras da ilha e também estava estratificada em classes. Os cultivos se realizavam no interior da ilha, enquanto que o litoral se utilizava para os centros religiosos, políticos e cerimoniais da cultura, em especial na praia Anakena e Akahanga, onde se rendia culto aos antepassados, que eram representados pelos moais.

Acredita-se que entre os séculos XV e XVII o povo rapanui sofreu umas crises de sobre população, o que provocou guerras entre as tribos, destruição dos altares e abandono das pedreiras onde se fabricavam os moais com pedra vulcânica.

Neste momento, começou a se realizar o cerimonial do tangata manu-homem pássaro onde os representantes dos clãs participam numa espécie de competição esportiva, onde o primeiro homem que voltara do ilhote Motu Nui com um ovo de manutara (gaviotín pascuense) se converteria no chefe de sua tribo por um ano.

Posteriormente, entre 1859 e 1863, os escravistas sequestraram a mais de 1000 rapanui, o que representou uma imensa perda, já que com a perda destes habitantes da ilha, desapareceu o significado da escritura da Polinésia, rongorongo, que ainda se mantêm como um mistério.

Em 1877 Chile decidiu-se anexar este território ao país, logrando em 1988 um tratado que cedia a soberania ao Chile, mantendo os títulos dos chefes dos clãs. As terras dos ilhéus começaram a ser devolvidas no final do século XX.

Aonde Ir

Entre praias, sítios arqueológicos e lugares naturais, Isla de Pascua nos surpreende e encanta com seus múltiplos atrativos.

Anakena:

 

Esta maravilhosa praia de areias brancas e águas turquesa se encontram a 18 quilômetros da capital de Rapa Nui, Hanga Roa. É a única praia da ilha oficialmente apta para o banho. Conta também com palmeiras que foram traídas desde Taiti durante os anos 60, o que brinda uma encantadora atmosfera.

 

Além de nadar, mergulhar e outras atividades náuticas, em Anakena se podem descansar num dos quiosques que existem e desfrutar uma cerveja e uma deliciosa empanada de queijo ou atum.

Perto de Anakena se encontra o famoso AhuNauNau.

AhuNauNau:

 

Esta é uma das plataformas cerimoniais em melhor estado que se encontram na Isla de Pascua. Caracteriza-se por seus moais adornados por gorros vermelhos. As estatuas deste ahu foram restauradas no final dos anos 70, pelo que se encontram bem conservadas e com grandes detalhes, como tatuagens e vestimentas.

AhuTongariki:

 

 

Este é um dos lugares mais belos da Isla de Pascua. Conta com 15 moais postos em fila, a maior quantidade de estátuas que encontramos em ordem em Rapa Nui é um dos postais do lugar.

Hanga Roa:

 

 

Este é o centro da Isla de Pascua onde podemos encontrar bancos, supermercados, lojas, artesanato, aluguel de carros, hotéis e informação turística. Sua avenida principal, Policarpo Toro, conta com todos os serviços necessários para os visitantes, além de muitas ofertas gastronômicas para degustar os sabores locais.

 

Não pode deixar de visitar a caleta de Hanga Roa, onde se encontram várias escolas de mergulho, cafeterias e restaurantes. Também conta com uma Feira de Artesanato onde pode encontrar diversos elementos trabalhados por artesãos, com o selo polinésio.

Também vale a pena conhecer a Paróquia Santa Cruz, onde os domingos se realizam uma missa com cantos ao estilo Rapa Nui.

RanoKau:

 

O RanoKau se encontra no extremo sudoeste da Isla de Pascua e conta com uma altitude de 324 metros sobre o nível do mar. Possui uma grande cratera onde se localiza uma lagoa, de aproximadamente 250 metros de profundidade. Além disso, se destaca por seus impressionantes penhascos, que permitem uma vista desde a altura da paisagem de Rapa Nui. Em sua ladeira oeste encontramos a aldeia cerimonial de Orongo.

Orongo:

 

 

É uma importante jazida arqueológica na ilha, que foi utilizada como centro cerimonial, na base do vulcão RanoKau. Conta com 50 casas de pedra, localizadas numa espécie de subterrâneo, com aspecto de cavernas. Este era um lugar onde se alojavam os sacerdotes para realizar ritos como o de homem pássaro. Em Orongo podemos observar moais e petroglifos.

RanoRaraku:

 

 

Este vulcão se encontra no extremo noroeste de Hanga Roa. Aqui se localiza a pedreira aberta onde foram esculpidos os moais da Isla de Pascua praticamente em sua totalidade e 400 moais em diferentes estados, fórmas e tamanhos ficaram sem terminar. É um lugar misterioso, onde surgem perguntas acerca de como puderam transportar estas imensas estátuas, com um peso de várias toneladas.

 

Possui, além disso, uma cratera onde se encontra uma lagoa de totora.

MaungaTerevaka:

 

Este é o vulcão mais alto da Isla de Pascua, com 511 metros sobre o nível do mar. Se localiza no extremo norte de Rapa Nui e conta com várias crateras. O RanoAroi é o mais importante e está na zona sul da cima. Em suas falésias se encontram varias cavernas, entre elas a Cueva de los Plátanos, famosa por suas pronunciadas vistas aos penhascos. Também possui alguns ahu cerimoniais, mais de difícil aceso.

Museu Antropológico Sebastián Englert:

 

 

Neste museu podemos encontrar uma coleção de objetos e material que copiam os costumes e tradições do povo originário da Isla de Pascua. Foi criado com os objetos que conseguiu coletar o sacerdote Sebastián Englert, que moraram 30 anos na região.

Localiza-se ao norte de Hanga Roa e próximo ao centro cerimonial de Tahai.

 

 

AhuTahai:

 

É o lugar da Isla de Pascua onde se podem observar os melhores entardeceres. Aqui encontramos duas plataformas cerimoniais, uma com cinco moais e outra com uma só estátua, que tem o mar em suas costas.

 

O moai solitário, clamado Ko Te Riku, conta com um coque de pedra vermelha e é o único em toda a ilha que tem olhos de coral.

Em Tahai também se encontra um embarcadouro, construído totalmente em pedra.

O AhuTahai localiza-se a 10 minutos caminhando desde o centro de Hanga Roa, ao norte da ilha.

O que fazer

A mágica e misteriosa Isla de Pascua conta com múltiplos atrativos para recorrer e visitar. Desde o enigmático encanto de seus sítios arqueológicos até suas maravilhosas praias, a ilha é para ser percorrida e vivida em cada um de seus lugares, seja alugando um carro, cavalgando ou simplesmente caminhando com uma garrafa de água e protetor solar.

Um dos passeios mais emblemáticos e únicos é conhecer os imponentes moais que podem observar-se nos ahu cerimoniais. Na Isla de Pascua existem aproximadamente 300 plataformas cerimoniais, entre elas algumas das mais famosas são os AhuTongariki, Akivi, NauNau, entre outros. Diz-se que um entardecer no AhuTahai é um dos mais belos que se podem ver no mundo.

A grande pedreira do RanoRaraku, com seus mais de 400 moais enterrados é outro dos lugares que deve se conhecer na ilha. Este misterioso lugar parece detido no tempo, como se os trabalhos tivessem sido abandonados num momento, o que é parte de um dos enigmas de Rapa Nui.

Na ladeira do RanoRaraku começa a Rota Patrimonial, com 3,31 km de comprimento e nove estações. É um circuito de trekking que permite subir pelo vulcão e se finaliza na aldeia cerimonial de Orongo. Este caminho incluso foi utilizado antigamente para acessar a Orongo durante o rito do Tangata Manu.

Durante o ascenso se pode desfrutar de maravilhosas vistas da ilha, além de observar exemplares de flora autóctone como os toromiros e gnaoho, além de outras espécies introduzidas como eucaliptos, lúcumas e guayabas.

Recorrer às praias de Rapa Nui é outra das atividades que devem realizar-se. Anakena é um paraíso tropical de areias brancas, mornas águas turquesa e palmeiras de fundo. Aqui, além de descansar e se relaxar, os mais aventureiros podem realizar atividades como navegação, mergulho e pesca desportiva.

Outra praia reconhecida é Ovahe, com espetaculares penhascos e areias de cor avermelhada. É um setor de forte fluxo de ondas, pelo que se recomenda precaução, suas paisagens são simplesmente inesquecíveis.

Estando em Rapa Nui não pode deixar de ver um show de música e dança tradicional. Existem variados espetáculos que incluem danças típicas, cerimonias e comida da região, como o curanto polinésio, a base de diferentes tipos de peixes e mariscos.

As cavalgadas são outra das atividades que se realizam na ilha, onde incluso existem cavalos livres. Este passeio permite recorrer os caminhos de Rapa Nui desde outra perspectiva, experimentando a liberdade do cavalo. Neles se pode chegar até a cratera do vulcão MaungaTerevaka, que é o ponto mais alto de toda a ilha, a 580 metros sobre o nível do mar.

Agora, se visitar a Isla de Pascua durante o mês de fevereiro, pode-se desfrutar da tradicional festa de Tapati Rapa Nui, onde se realizam competições esportivas, eleição da Rainha de Rapa Nui, amostras de gastronomia e artesanato, danças e música e muito mais. Ao ser uma das atividades mais atrativas da ilha, se recomenda reservar voos e hospedagem com meses de antecedência.

Recomendação

Economia:

 

Na Isla de Pascua se utilizam pesos chilenos e também dólares americanos. Recomenda-se pagar com dinheiro em efetivo, já que em muitos lugares não aceitam cartões de crédito.

 

Existe uma casa de câmbio onde trocar moeda estrangeira e um caixa automático onde se pode retirar dinheiro.

Por se encontrar afastado do continente, o custo dos produtos costuma ser bastante mais elevado que no Chile continental.

Transporte:

 

Na Isla de Pascua não existe um sistema de transporte público. No entanto, existem vários táxis que transportam aos lugares mais representativos de Rapa Nui e várias empresas que permitem a alugar um carro para os passeios.

Comunicações:

 

 

O código de telefone para a Isla de Pascua é 32, como a V região de Valparaíso. Para ligar do estrangeiro, deve-se antepor o código para o Chile, que é 56, logo o 32 e o número de telefone.

 

O que e Onde Comer

A cozinha de Isla de Pascua se caracteriza pela presença de produtos marinhos. Frutos do mar preparados com sabores exóticos da Polinésia e acompanhado por frutas e legumes nativos, o que proporciona sabores distintos e únicos para cada prato.

Entre as preparações mais tradicionais é ceviche, com diferentes tipos de peixes além do atum. Toremo mata huia, Kanakana e pisci, para citar alguns.

Também são conhecidos os preparativos com banana frita e leite de coco, um dos enfeites-adereços típicos desta cozinha. A maioria dos pratos é acompanhada por po'e, uma espécie de bolo preparado com farinha de tapioca, banana ou mandioca, muito tradicional da Isla de Pascua.

O UmuTa’o Rapa Nui, curanto ou Rapa Nui é um dos pratos típicos da região. É preparado com muito de frutos do mar, usando folhas de bananeira para separar os ingredientes e cozidos com pedras vulcânicas quentes. Servido acompanhado por batata doce.

A carne de porco, como costelas, é também outra das mais tradicionais preparações de Rapa Nui, também como o cordeiro.

Na Isla de Pascua, existem 15 variedades de banana, que é usada na cozinha, usando farinha ou fruta e é usada em todos os pratos na cozinha rapa nui.

Passeio recomendado em Ilha de Páscoa
Chile Multi-paisagem Chile Multi-paisagem
Isla de Chiloé
19 Dias / 18 Noites
Ilha de Páscoa Ritual e Fantasia Ilha de Páscoa Ritual e Fantasia
Isla de Pascua
4 Dias / 3 Noites
Por que reservar com a gente?
Melhor preço sem complicações
Melhor qualidade garantida
Serviço de passageiros disponível 24/7
Passeios e experiências selecionadas por especialistas
Líder da indústria
18 anos de experiência